Estufa hidropônica é consumida pelo fogo na Argentina e deixa 40 famílias sem trabalho

O empreendedor hidropônico e empresário Ignacio Iranzi, é produtor conhecido no meio hidropônico do Brasil e países das Américas e perdeu 100% de seu negócio com o incêndio.

 

Na tarde do dia 26 de novembro, a empresa hidropônica localizada no Parque Industrial de Neuquén, foi consumida por um incêndio e seus 40 funcionários assistiram sua fonte de trabalho ser consumida pelas chamas em "10 minutos". 

 

“Eles não conseguiram nem pegar os telefones celulares, pois tiveram que correr para "escapar do fogo". Os bombeiros rapidamente eliminaram o fogo, mas o dano foi total: "Não sobrou nada", esclarece Inácio.

 

  

SEM FERIDOS E AJUDA PARA RECUPERAR TRABALHOS

 

Com grande tristeza, Iranzi relata que, no total, 40 famílias perderam o seu trabalho. “Precisamos de ajuda”, disse ele, e observou que “o importante é focar em como recuperar esses empregos”.

 

Ele observou que o fogo devastou tudo em apenas "10 minutos". “ O dano foi tão grande, tão profundo no nível de infraestrutura”, ele suspirou. No entanto, apesar da voracidade do incêndio, não houve feridos.

 

No momento do incidente, 40 funcionários trabalhavam na operação da produção e no escritório administrativo. A rapidez do fogo foi tão violenta que eles não conseguiram levar nenhum dos pertences. “Eles mal conseguiam escapar, não tinham tempo para nada”, enfatizou. Não foi possível nem resgatar celulares, mochilas e bolsas. Já tinham parte do salário do mês seguinte, mas o dinheiro foi consumido pelo fogo, pois não puderam sacá-lo.

 

A suspeita é de que o incidente tenha começado na usina de reciclagem de papelão, Iranzi disse "não está claro onde começou". Ele lembrou que a propriedade tem uma grande área e que de qualquer forma chegou à estufa hidropônica, “às câmaras frigoríficas que também são grandes” e a todos os escritórios.

 

FALTA DE ENERGIA PELA TEMPESTADE DE VENTO AGRAVOU O INCENDIO

 

O incêndio começou no pior momento: em meio a uma tempestade de vento, com rajadas que chegavam a 104 quilômetros por hora, e um corte de energia no setor do Parque Industrial. 

O empresário comentou que, por conta do apagão, não foi possível ligar as bombas para apagar o incêndio. “Temos um sistema de água para isso”, disse ele, embora o contexto não permitisse que funcionassem.

 

Ele acrescentou que "nessa velocidade, o vento transforma qualquer fonte de fogo em uma forja". “A energia acaba, tudo explode e tchau. Não sobrou nada”, disse Iranzi.

 

Em 10 minutos , 40 empregos foram perdidos. O proprietário contou que os funcionários choravam vendo como seu trabalho queimar". Ele resgatou o comprometimento de sua equipe. “Hoje venho limpar e guardar o que se pode guardar da estufa”, comentou, embora desanimado, afirmou: “Depois que limpamos vimos que não tinha mais nada. Não havia materiais”.

 

GRANDES PERDAS MATERIAIS 

 

Ele especificou que um reciclador de papelão, prensas de estufa, câmaras frigoríficas de alface com dois velocistas, duas vans, um caminhão e dois carros de coleta foram queimados. Além disso, o incêndio destruiu "todos os tubos de substituição" e uma nova fábrica "feita com grande esforço".

 

“Toda a oficina de manutenção foi queimada com as peças de reposição, todo o estoque de sementes, os fertilizantes, todas as tubulações”, as câmaras de pintura e os compressores. "É terrível", enfatizou Iranzi.

 

O proprietário afirmou que para reconstruir o projeto será necessário "um apoio importante". Ele comentou que a estufa hidropônica é uma iniciativa "única na Patagônia".

 

FOCO E APOIO NA RECUPERAÇÃO DO PREJUÍZO PARA RETOMAR TRABALHOS

 

Ele argumentou que o que é relevante agora "é focar em como recuperar as fontes de empregos", em um momento de crise econômica e de saúde como a que atravessa a Argentina. "Perder 40 empregos é um problema muito sério", enfatizou.

 

O CEO da Plataforma Hidroponia Roberto Lange, conversou com o Ignácio que fez um levantamento das perdas: 

 

 

ESCASSEZ DA PRODUÇÃO E MERCADO COMPROMETIDO

 

 

Com um volume de produção mensal de 60.000 unidades entre alfaces, rúcula e manjericão e um mercado de consumidores desabastecidos com o ocorrido, o prejuízo é considerável. "Atendemos uma grande rede de hipermercados da Argentina e mais de 20 pontos de venda da Patagônia e região. Sem a produção,  o publico  ficará sem abastecimento temporariamente. Entre o cálculo dos prejuízos de infraestrutura e recursos da empresa soma-se cerda de  $150.000,00 ", pondera Ignacio.

 

 “A família (esposa, mãe , irmã e um bebê) ficou muito abalada, pois foram os últimos a sair”. Pertences foram queimados (celulares, documentos, bolsas) e algumas queimaduras nas mãos.

 

Ignácio Iranzi lamenta demais o ocorrido e finaliza: “Foram os 10 minutos mais longos de minha vida”, finaliza. 

 

A Plataforma Hidroponia lamenta muito o ocorrido e se coloca a disposição. “Como amigo do Ignácio de muitos “Encontros de Hidroponia” em Florianópolis, apesar da distância, estamos irmanados neste desafio”, destaca Roberto Lange.

 

Andrea Weschenfelder

Plataforma Hidroponia - Editora WEB

MTB 10594

Tags: hidroponia plataforma hidroponia revista hidroponia incendio argentina cultivo hidroponico Encontro de Hidroponia Florianópolis

Compartilhar

Relacionados

Conversar no Whatsapp