NASCE UMA NOVA FAZENDA URBANA EM XANGAI

Xangai, na China, que tem cerca de 24 milhões de habitantes para alimentar e um declínio na disponibilidade e qualidade de terras próprias para a agricultura, pretende criar o Distrito Agrícola Urbano Sunqiao, uma fazenda urbana de 100 hectares. Situado entre o principal aeroporto internacional de Xangai e o Centro da cidade, Sunqiao introduzirá a agricultura vertical em grande escala na metrópole, que é famosa por seus arranha-céus. Embora responda principalmente à crescente demanda agrícola na região, a visão do empreendimento vai mais longe, usando a agricultura urbana como um laboratório vivo e dinâmico para inovação, interação e educação.

Xangai é uma cidade ideal para a agricultura vertical. O alto preço dos terrenos faz com que construir para dentro seja mais viável que construir para fora, enquanto a demanda por folhas verdes na dieta típica dos habitantes pode ser satisfeita com eficientes sistemas hidropônicos urbanos. O projeto, da empresa Sasaki Associates, dos Estados Unidos, envolverá várias  técnicas de cultivo urbano, como Hidroponia e Aquaponia, fazendas de algas, estufas flutuantes, paredes verdes e bibliotecas de sementes verticais.

A iniciativa, porém, representa mais do que uma fazenda para a produção de alimentos. O projeto cria um domínio público robusto, comemorando a agricultura como um componente-chave do crescimento urbano. A estufa interativa, o museu de ciência, o mostruário hidropônico e o mercado sinalizam uma tentativa de educar gerações de crianças sobre a origem de seus alimentos.

A fazenda urbana será um conceito estranho para Xangai. Enquanto os países ocidentais dependem da agricultura em grande escala, rural e empresarial, a agricultura em pequena escala tem tradicionalmente dominado a paisagem urbana da metrópole. No entanto, a escala do projeto aprovado pela Sasaki indica o aumento do valor colocado no setor agrícola da China.

O país é o maior consumidor e exportador mundial de produtos agrícolas, sendo que a indústria fornece 22% do emprego do país e é responsável por 13% do seu Produto Interno Bruto (PIB). Por isso, o governo chinês está ansioso para preservar, modernizar e mostrar uma indústria que tem ajudado a reduzir significativamente as taxas de pobreza e influenciado o crescimento da biotecnologia e indústrias têxteis.

“Esta abordagem apoia ativamente uma rede alimentar mais sustentável, aumentando a qualidade de vida na cidade através de um programa comunitário de restaurantes, mercados, uma academia culinária e escolha a sua própria experiência”, explica a empresa por meio de seu site. “Com as cidades em contínua expansão, temos de continuar desafiando a dicotomia entre o que é urbano e o que é rural”, acrescenta a

Compartilhe esta informação:

Posts Recentes

Carrinho

Nenhum produto no carrinho.

Finalizar compra