LÚPULOS HIDROPÔNICOS: ALMA DE CERVEJA EM CORPO D’ÁGUA

CARACTERÍSTICAS DA PLANTA

O lúpulo é um vegetal perene, que cresce a partir do próprio estoque, todos os anos, dispensando replantios. Em sua forma silvestre, na natureza, essas vinhas alcançam uma altura de aproximadamente 6 a 7 metros em cada temporada – mas, tal qual as bananeiras, morrem após a colheita.

Em boas condições, cada vinha de lúpulo produz cerca de 900 gramas de flores secas – que, caso adicionadas à cerveja, serão responsáveis pelo “amargor” da bebida. E o interessante é que, conforme explicaremos nesta máteria, é bem mais fácil do que você imagina cultivar esse “insumo” fresco mesmo em casa.

BENEFÍCIOS DA HIDROPONIA PARA O CULTIVO DE LÚPULO

Alimentos cultivados hidroponicamente podem ser produzidos durante todo o ano, em períodos muito mais curtos. O rendimento das fazendas hidropônicas é o dobro da produção agrícola convencional, pois os métodos sem solo não exigem intervalo entre os ciclos de crescimento.

Enquanto nos manejos tradicionais a maioria das plantas leva vários meses para amadurecer (pois as espécies obtêm seus nutrientes do solo, o que pode ser um processo bem lento), as safras desenvolvidas em água recebem a dosagem exata para seu pleno desenvolvimento, alcançando potencial máximo em velocidades surpreendentes.

Além disso, os sistemas hidropônicos também requerem menos trabalho, se comparados às fazendas tradicionais, porque ocupam espaços compactos e, parcial ou totalmente, automatizados. Colher e replantar são, portanto, atividades mais fáceis e ergonômicas – e a manutenção geral também é menor.

Outro grande benefício reside no fato de, em alguns casos, serem desnecessários defensivos agrícolas químicos, pois na Hidroponia as plantas são cultivadas em ambiente controlado – e, portanto, não são suscetíveis à maioria das doenças, pragas ou fungos comuns na terra. Não há risco de ervas daninhas, por exemplo, o que reduz consideravelmente a utilização de herbicidas e pesticidas.

A horticultura hidropônica pode cultivar mais plantas na mesma quantidade de espaço que os sistemas baseados no solo; ou seja: a produtividade – e, por consequência, rentabilidade – é bastante superior. Isso sem contar o consumo 10 vezes menor de água, porque ela é fornecida ao sistema de forma controlada, amparada na reutilização circular.

Para completar, os nutrientes que as plantas hidropônicas absorvem não são perdidos no processo de amadurecimento, o que conduz a uma taxa de crescimento 30 a 50% mais rápida do que a cultivada no solo. Portanto, graças às condições de crescimento quase perfeitas, o lúpulo produzido em ambiente protegido (controlado) cresce mais forte, mais uniforme e mais rápido.

POR QUE O LÚPULO CULTIVADO HIDROPONICAMENTE É MELHOR?

A produção de lúpulo hidropônico oferece vantagens devido aos seguintes fatores:

PROTEÇÃO

Como o cultivo hidropônico é “interno”, em um ambiente hermeticamente protegido das ameaças externas, a incidência de pragas e doenças é drasticamente reduzida, pela ausência de contato com a maioria dos vetores tradicionais. Além disso, as plantas de lúpulo preferem temperaturas entre 5 e 23° C e, como a temperatura nas estufas é constantemente monitorada, elas recebem sempre o calor ideal, favorecendo seu desenvolvimento constante.

NUTRIÇÃO

Vegetais como o lúpulo dependem principalmente de nitrogênio e potássio para crescer. Ao cultivá-lo hidroponicamente, você pode fornecer à planta todos os nutrientes necessários exatamente quando e na quantidade em que ela precisa. Já no solo, onde as plantas dependem de esperar até que os elementos de liberação lenta estejam disponíveis, isso não é tão fácil – e pode exigir muito mais tempo e esforço.

PRODUÇÃO DE RESINA / ÓLEO ESSENCIAL

Os hidrocarbonetos terpênicos (como mirceno, humuleno e cariofileno) respondem por 80 a 90% do total de óleos essenciais no lúpulo. Mirceno (ou Myrcene), por exemplo, é responsável pelo cheiro forte de lúpulo fresco; em função disso, muitos nutrientes comerciais formulados especialmente para a Hidroponia são manipulados para aumentar a produção desse óleo essencial nas plantas. Trata-se de um terpeno do lúpulo e demonstrou responder bem às linhas nutricionais preparadas desta forma.

VARIEDADES PARA CULTIVO

Existem centenas de variedades de lúpulo, porém eles podem ser divididos principalmente em duas categorias: os “quentes” e os “cheirosos”. O lúpulo quente é o mais conhecido e costuma ser adicionado mais cedo no processo de cozimento das bebidas fermentadas porque, em geral, é usado por suas propriedades antibacterianas – além de imprimir aquele característico sabor amargo.

Mas lúpulo não é sinônimo apenas de amargor. Variáveis aromáticas também servem para adicionar outros sabores: algumas são cítricas, outras de pinho, terrosas, úmidas, mofadas ou, ainda, muito frutadas.

Atualmente, muitas variedades comerciais de lúpulo foram criadas para fins específicos. As mais populares incluem Cascade, Chinook, Columbus, Magnum e Centennial, cada uma de composição e aplicações diferentes.

Cascade e Chinook são bastante adequadas para a produção hidropônica em pequena escala. A variedade Cascade é a mais utilizada na cervejaria artesanal nos Estados Unidos, por exemplo, sendo destinada para fabricação de vários tipos de leveduras, inclusive algumas lagers. Com um alto teor de ácidos alfa (4,5 – 6%) e uma agradável qualidade cítrica aromática, é uma variedade universalmente indicada para a produção hidropônica.

CONDIÇÕES NECESSÁRIAS PARA DESENVOLVER O LÚPULO

Antes de entrar de se jogar de cabeça na Hidroponia de lúpulos, você deve conhecer as condições exigidas:

• Rizoma do lúpulo – o rizoma é a parte principal da planta do lúpulo, que cresce abaixo da superfície. Ele se parece com uma videira e é usado para estabelecer novas plantas. Portanto, cuidar de sua saúde é fundamental para garantir a reprodução da espécie;

• Iluminação – Um kit HID (High Intensity Discharge), incluindo lastro, refletor, hardware de suspensão e lâmpadas pode ser o início mais barato para um hidrocultor inexperiente. Cada conjunto de luz, por exemplo, pode ser suficiente para cultivar de uma a duas plantas de lúpulo até o estágio de floração;

• Nutrientes – Para os lúpulos mais saborosos, considere o uso de uma linha nutritiva especialmente projetada para estes cultivares. Safras com óleos e resinas mais intensos tendem a agregar mais valor e gerar bons rendimentos;

Vale frisar que essas linhas de nutrientes custarão mais do que alguns dos outros produtos disponíveis, mas ajudarão a tornar o sabor amargo e picante, oferecendo um diferencial de mercado.

• Estrutura – Por ser uma “escaladora”, sua planta de lúpulo precisará de algum suporte. Pinos de aço ou bambu, para dar estabilidade          estrutural, podem ser uma alternativa simples e prática.

 O QUE CONSIDERAR NO CULTIVO

Primeiro, a localização é um fator importante na produção de lúpulo hidropônico. Se ele for cultivado em uma estufa, provavelmente será necessária iluminação adicional, para maximizar o desempenho da planta. No entanto, se o propósito for apenas de “hobby” ou para consumo próprio, com cultivo em micro-escala, dentro de casa, você pode simplificar esse processo, escolhendo entre várias opções de luzes para jardim disponíveis no mercado.

Em segundo lugar, é preciso ter clareza quanto ao método hidropônico adotado. Existem muitos sistemas e cada um dele apresenta especificidades quanto ao manejo, por isso procure compreender suas diferenças, vantagens e desvantagens.

Após estabelecer seu método e ambiente de cultivo, você precisa escolher também um substrato. Dentre as variedades mais comuns, temos desde lã de rocha a seixos de argila, cascalho ou perlita. Assim como os métodos, eles também apresentam pequenas ou grandes diferenças entre si, portanto se informar a respeito de cada um deles é também decisivo para a assertividade do processo.

Leia também: Sem sujeira? Sem grandes áreas? O potencial para um cultivo sem solo é enorme

Em seguida, é hora de elencar seus nutrientes. Existem centenas de marcas e estilos, desde linhas de múltiplos produtos líquidos até soluções em pó – mas, em geral, todas bem fáceis de usar. Quer você seja um iniciante ou um profissional avançado, escolha uma fórmula de alta qualidade, asséptica e de manuseio simples.

Por fim, o balanceamento de PH, o uso de bombas, temporizadores, medidores e ventiladores, tudo isso também precisa ser considerado para completar o projeto de cultivo. O ideal é que sempre todos os elementos sejam testados em micro-escala, antes de se partir para a exponenciação da área ou do número de mudas. Essa “simulação” pode prevenir muitos prejuízos, gastos desnecessários e dores de cabeça.

PROCESSO DE CULTIVO

O lúpulo é uma planta trepadeira herbácea, perene, que se beneficia da nutrição controlada dos sistemas hidropônicos. Ele produz plantas masculinas e femininas separadas, mas apenas as fêmeas formam cones; assim, a propagação do lúpulo é realizada vegetativamente, para garantir que apenas essas cresçam.

Se houver flores masculinas misturadas na cultura, a polinização das femininas pode levar a sementes indesejáveis para a fabricação de cerveja. Uma vez que os rizomas são plantados em climas quentes, eles se formam rapidamente e também logo produzem vários brotos jovens.

Os cortes de lúpulo igualmente podem ser retirados de plantas estabelecidas, que facilmente formam raízes nos nós das folhas. Durante certas estações, é possível comprar ou vender mudas de lúpulo em vasos.

Assim que começa a crescer, ele produz longos brotos-trepadeiras, chamados bines. Estes formam pelos curtos e duros ao longo da superfície do caule, permitindo que a bine se segure e suba (os vinhedos usam gavinhas ou outros meios para aderir às superfícies).

O lúpulo cultivado hidroponicamente é adequado para sistemas de formação semelhantes aos usados para as safras de tomate e pepino. Podem ser utilizado cabos aéreos com barbante ou cordas de rede para segurá-los.

HORA DO BRINDE

O jardim hidropônico oferece muitos benefícios, que ajudam a saciar o sedento mercado de cerveja, sempre em expansão. O lúpulo, por sua vez, é uma cultura sensível, geralmente cultivada em regiões e climas específicos.

Os limites sazonais da agricultura convencional permitem que seus produtores colham somente até duas safras anuais. Já os métodos hidropônicos podem aumentar drasticamente essa produtividade, para até cinco safras ao ano. Para isto, basta uma estufa com iluminação e temperatura adequadas, boa nutrição e busca constante por conhecimento.

E aí, agora sabendo disso tudo, atiçou teu “gostinho” pelo potencial de lucro desse mercado ainda subestimado? Pois mãos à obra, o verão está aí e sabemos o quanto o consumo de “geladas” dispara nesse período! Um brinde aos visionários! Saúde!

Compartilhe esta informação:

Posts Recentes

Carrinho

Nenhum produto no carrinho.

Finalizar compra