LONDRES TRANSFORMA REFÚGIOS SUBTERRÂNEOS DA 2ª GUERRA MUNDIAL EM HORTAS URBANAS

Caminhando apressadamente pelas calçadas de Londres, poucas pessoas imaginam que 11 andares abaixo de uma das linhas mais movimentadas do metrô de Londres, a Linha do Norte, que liga o norte e sul da capital britânica, existe uma horta urbana. O projeto cultiva vegetais usando o sistema hidropônico em túneis construídos em 1940 como um abrigo para a população se proteger das bombas lançadas pelos aviões nazistas durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Os túneis ficam a 34 metros de profundidade e se mostraram  perfeitos para o arrojado projeto. “O lugar cumpria todos os requisitos que estávamos procurando. Uma temperatura estabilizada entre 16°C e 20ºC durante todo o ano e espaço suficiente para os nossos planos: são 10 mil metros quadrados de espaço para as plantas”, afirma Richard Ballard, fundador da Zero Carbono Food Company, que é responsável pela iniciativa. 

Abandonados desde o final do conflito global, os túneis são de propriedade do Departamento de Transporte para Londres (TFL, Transport for London), e foram arrendados por 25 anos para o projeto – as quantidades de renda não foram divulgados. Os túneis estão localizados perto da estação Clapham North Underground, que veio para servir como um abrigo antiaéreo para 12,3 mil pessoas em julho de 1944.

Desde a guerra, no entanto, as estruturas foram abandonadas e os planos para utilizá-las como parte da rede de transportes londrina nunca saíram do papel. Hoje, são menos de cinco quilômetros na área do mercado de Covent Garden, reunindo atacadistas e restaurantes. A meta da empresa é atrair mais clientes.

Técnicas de Hidroponia – A horta funciona mais ou menos como as estufas. Eles utilizam a água da chuva (a proposta é utilizar 70% menos água do que o utilizado na agricultura tradicional) para fazer a solução nutritiva. Um sistema de iluminação com luzes LED reproduz a luz do sol. E ali, no fundo da terra, os vegetais não têm contato com nenhum inseto ou erva-daninha, ou seja, não precisam de agrotóxicos.

Outro fator que atraiu a atenção é que um dos parceiros da iniciativa é o premiado Chef Michel Roux Jr, do restaurante francês Le Gavroche, com duas estrelas no concorridíssimo guia Michelin. Depois de uma campanha bem-sucedida de crowdfunding (financiamento coletivo) em que receberam 600 mil libras esterlinas para o projeto, a produção de vegetais nos túneis londrinos está em grande escala. 

Compartilhe esta informação:

Posts Recentes

Carrinho

Nenhum produto no carrinho.

Finalizar compra