HIDROPONIA É UTILIZADA PARA ALAVANCAR PRODUÇÃO DE FRUTAS EM MINAS

A união faz a força. Esse é um velho ditado que não passa batido pela fruticultura mineira. A organização de agricultores em cooperativas ou associações tem sido a chave para fortalecer a produção de frutas no estado. O esforço coletivo tem contribuído para o melhoramento das técnicas de produção e, principalmente, para a formação de preços em um mercado competitivo, que oscila com o clima, com a oferta ou, simplesmente, pela preferência do consumidor por uma determinada fruta. A união tem sido a saída também para fruticultores que buscam melhorar a qualidade, criar escala e vender sua produção ao mercado externo.

Ao ano, o estado produz cerca de três milhões de toneladas de frutas. Parece muito, mas, como indica a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), apenas 33% das frutas comercializadas na Ceasa Minas são produzidas no estado. Observando o mercado externo, no país não é diferente, apenas 2% da produção é exportada. “O que mostra um grande potencial para a fruticultura”, observa Deny Sanábio, coordenador técnico da área, na Emater-MG.

Em Alfredo Vasconcelos, no Campo das Vertentes, o morango é doce e está abrindo espaço no mercado, com preços competitivos que garantem lucratividade ao produtor.

Na região, são mais de 100 agricultores, sendo que 65 deles fazem parte da Cooperativa Agropecuária de Alfredo Vasconcelos (Cooprav), explica o presidente Renivaldo Bageto. Segundo ele, além de dar sustentabilidade à produção, negociando o melhor preço possível na compra e na venda da mercadoria, a cooperativa ajuda na assistência técnica e busca a participação dos produtores em programas sociais, como a venda de frutas para a merenda escolar.

CULTIVO HIDROPÔNICO

Recentemente, agricultores de Alfredo Vasconcelos trocaram o cultivo em canteiros pela Hidroponia. A técnica, somada ao manejo eficiente e introdução de novas espécies, tornou o morango mais resistente à estiagem que vem castigando o Sudeste. Neste ano, a cooperativa não fechou os números da produção, mas acredita que a colheita vai superar as duas mil toneladas de 2014. Os principais mercados são Belo Horizonte e Rio de Janeiro. “Este ano, os preços estão variando entre 10% e 15% acima do registrado na safra passada”, calcula Bageto.

NÚMEROS

» O Brasil é o terceiro maior produtor de frutas do mundo.

» Somente 2% da produção é exportada.

» Minas Gerais produz três milhões de toneladas de frutas ao ano.

» O crescimento da produção tem se mantido entre 1% e 2% ao ano.

» 67% das frutas comercializadas na Ceasa Minas são produzidas em outros estados.

Compartilhe esta informação:

Posts Recentes

Carrinho

Nenhum produto no carrinho.

Finalizar compra