COMO FAZER HIDROPONIA: PASSO A PASSO

A Hidroponia é um negócio que está relacionado à qualidade de vida e a produção de alimentos saudáveis de forma eficiente. O termo Hidroponia vem de duas palavras de origem grega – hidro, que significa “água”, e ponos “trabalho”. É uma técnica de cultivo de hortaliças, frutos e flores, em que as plantas não entram em contato com o solo, que é substituído por uma solução aquosa contendo apenas os elementos minerais essenciais aos vegetais.

[ihc-hide-content ihc_mb_type=”show” ihc_mb_who=”5,6,7″ ihc_mb_template=”3″ ]

Com a Hidroponia, o agricultor consegue cultivar qualquer espécie de planta. No entanto, alface, rúcula e tomate são as culturas mais difundidas entre os produtores hidropônicos brasileiros. Outros cultivos bastante comuns entre os produtores hidropônicos são abobrinha, pimentão, pepino, salsinha, cebolinha, orégano, manjericão, manjerona, morango e melão, além de plantas ornamentais, como crisântemos, rosas, e gladíolos.

No Brasil, a técnica vem ganhando espaço em relação aos outros sistemas de cultivo. Não existem dados oficiais, mas a estimativa é de que a Hidroponia registra um crescimento de 20% a 30% ao ano. Esse crescimento acima da média vem despertando a atenção dos empreendedores, de Norte a Sul do país. No entanto, quem já tem mais experiência com Hidroponia recomenda aos interessados que, antes de investir, é preciso fazer um bom planejamento, pensar detalhadamente o negócio.

Muitos produtores que arriscaram implantar projetos por conta própria tiveram problemas mais adiante e acabaram saindo do mercado. Para gerir o negócio, o empreendedor deve conhecer a atividade, a propriedade rural, quanto as suas potencialidades e limitações, e o mercado que deseja atender. “Cada projeto tem a sua particularidade, mas a recomendação inicial para começar uma produção hidropônica é a pesquisa de mercado, para que se saiba, mesmo antes de se ter um projeto pronto, aonde será canalizado este produto”, ensina Cleviton Jean Corrêa de Medeiros, diretor da Hidroplásticos Comércio de Produtos Agrícolas Ltda., de São Leopoldo (RS), que presta consultoria na implantação e projetos e assistência técnica a produtores hidropônicos.

Hidroponia como fazer: Elaboração do projeto

A próxima etapa é a elaboração do projeto e os recursos que serão investidos no negócio. “A partir deste ponto, vem a questão do projeto e os recursos, se próprio ou financiamento, e a analise da água”, explica o especialista, que trabalha com Hidroponia há 15 anos e atende cerca de 50 produtores hidropônicos em 30 municípios, a maioria do Vale do Sinos, além de agricultores da Serra Gaúcha, Litoral Norte, Missões e Fronteira Oeste. “Também temos alguns clientes em Santa Catarina”, lembra.

O número de agricultores que vêm preferindo utilizar sistemas hidropônicos de cultivo vem aumentando. Nos últimos anos, o crescimento do mercado tem ajudado o desenvolvimento de novas técnicas de cultivo, assim como novos recursos e tecnologias sobre o assunto. Existem diferentes técnicas hidropônicas e todas têm o mesmo objetivo; produzir plantas sem fixá-las diretamente no solo.

Como não há necessidade do solo para a produção agrícola, é possível produzir em qualquer local e em qualquer época do ano. Isto se aplica tanto para locais desérticos e áridos, quanto para áreas urbanas. Outra característica do sistema hidropônico é o cultivo no interior de estufas. As plantas não têm contato direto com o solo e não entram em contato com os contaminantes do solo, como bactérias, fungos, lesmas, insetos e vermes, O cultivo protegido modifica as condições meteorológicas e garante plantas mais sadias, que podem ser produzidas  durante todo o ano.

Como não há necessidade do solo para a produção agrícola, é possível produzir em qualquer local e em qualquer época do ano. Isto se aplica tanto para locais desérticos e áridos, quanto para áreas urbanas. Outra característica do sistema hidropônico é o cultivo no interior de estufas. As plantas não têm contato direto com o solo e não entram em contato com os contaminantes do solo, como bactérias, fungos, lesmas, insetos e vermes, O cultivo protegido modifica as condições meteorológicas e garante plantas mais sadias, que podem ser produzidas  durante todo o ano.

Outros pontos positivos de se produzir sem o uso do solo são a redução dos custos operacionais e a ausência de fungicidas e inseticidas, que melhoram a qualidade do produto, poupam o desgaste da terra e contribuem imensamente para a preservação do meio ambiente.

“A redução do uso de defensivos no sistema hidropônico chega a 60%.”, destaca Medeiros, que há oito anos é produtor hidropônico.

A menor utilização de mão de obra é mais uma vantagem da Hidroponia. Mesmo poucas pessoas conseguem tocar o negócio. As atividades absorvem muito bem a mão de obra familiar. Idosos, jovens, crianças, homens, mulheres podem participar. Não há capina, nem manuseio com tratores e implementos agrícolas. “Em um sistema hidropônico se usa menos da metade da mão de obra que o sistema convencional”, diz o diretor da Hidroplásticos. “A Hidroponia, que eu considero a agricultura do futuro, traz vantagens por apresentar maiores índices de qualidade e produtividade e também por ser um trabalho mais leve e não sofrer tanto com as intempéries climáticas”, acrescenta o Prof. Dr. Jorge Barcelos, que dirige o LabHidro, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

[/ihc-hide-content]

Nota da redação: O conteúdo da matéria “Os passos  para quem pretende começar na Hidroponia”, será apresentado em 5 partes.Iniciamos hoje com a parte 1 e nos próximos dias estaremos publicando os conteúdos que complementam a abordagem. Ótima leitura!

Compartilhe esta informação:

Posts Recentes

Carrinho

Nenhum produto no carrinho.

Finalizar compra