ALUNOS DE AGRONOMIA EXPERIMENTAM NOVO MÉTODO DE CULTIVO DE ALFACE HIDROPÔNICO

Alunos do curso de Agronomia do ICA/UFMG realizam estudos sobre a produção de alface hidropônicos utilizando substratos, sistema que dispensa a aquisição de alguns equipamentos e é uma excelente alternativa para pequenas áreas e agricultura urbana.

Segundo o professor coordenador da pesquisa, Ernane Martins, a água muito calcária de Montes Claros dificulta a produção hidropônica, já que a correção de pH da solução nutritiva é necessária para não prejudicar a planta. Nessas correções, normalmente, são utilizadas soluções que muitas vezes são de difícil acesso para os produtores, e não é uma ação fácil de ser feita. Devido a isso, montou-se uma estrutura experimental de hidroponia vertical com tubos de PVC, preenchidos com substratos.

Os substratos servem para fixar as plantas nos tubos, diminuir o tempo de acionamento da bomba, que fornece a mistura com nutrientes, e diminuir variações na solução. Foram testados alguns substratos como areia, brita e casca de arroz carbonizada e um substrato disponível no mercado, para avaliar qual dos materiais é mais adequado para o sistema.

Foram utilizados canos de PVC de 15 centímetros de diâmetro instalados na vertical, o que segundo o estudante de Agronomia, Julian Rodrigues, permite que a produção aconteça em uma área menor, o que é uma grande vantagem. Em sistema convencional de cultivo é possível se ter cerca de 9 plantas por m², com os tubos na vertical foram possíveis 28 plantas por m. De acordo com o coordenador do projeto, é possível dobrar esse valor, já que a estrutura não tinha o objetivo de grande produção.

Dentro do cano foi colocado o substrato e a muda de alface com cerca de 20 dias, a irrigação foi feita de forma contínua através de uma bomba e um temporizador, que acionava o sistema em intervalos de 15 minutos em cada 2 horas. Para irrigar foi utilizada uma solução de água e nutrientes, como nitrogênio, fósforo, potássio, ferro e outros minerais necessários para o crescimento da planta, disponível no mercado.

Com o estudo se percebe, que se a solução nutritiva for preparada com as recomendações do fabricante, para a produção em pequenas áreas, é dispensada a necessidade de aquisição de equipamentos como medidor de pH e condutivímetro, que são caros. As plantas foram colhidas com 45 dias após a semeadura e, ao final do estudo, concluiu-se que pode ser usado qualquer um dos substratos testados de acordo com sua disponibilidade e preço no local. Novos estudos serão conduzidos com outras espécies de hortaliças e plantas medicinais.

Compartilhe esta informação:

Posts Recentes

Carrinho

Nenhum produto no carrinho.

Finalizar compra