A IMPORTÂNCIA DA VENTILAÇÃO PARA A HIDROPONIA

O ar fresco é uma necessidade incondicional na manutenção de um ambiente equilibrado para qualquer tipo de cultivo hidropônico.

O ar puro e fresco é um dos fatores que garantem o sucesso do cultivo protegido. Fora da estufa, o ar é abundante e quase sempre fresco, dependendo da região. Para garantir que o clima no interior da casa de vegetação seja favorável para o desenvolvimento das plantas, é preciso atenção redobrada. [ihc-hide-content ihc_mb_type=”show” ihc_mb_who=”5,6,7″ ihc_mb_template=”3″ ]A ventilação em sistemas de cultivo protegido nada mais é do que a movimentação de ar dentro das estufas. O ar fresco é uma necessidade incondicional na manutenção de um ambiente equilibrado para qualquer tipo de cultivo hidropônico. Ele mantém as plantas limpas e saudáveis??, protegendo-as de agentes destrutivos, além de enriquecer o ambiente com o dióxido de carbono, elemento que potencializa o rendimento da produção. 

Um sistema de ventilação eficaz é necessário para que as plantas se desenvolvam com qualidade. “A ventilação, ou controle ambiental, é importante em qualquer cultivo em estufa. O objetivo da plasticultura, cultivo em estufa, se resume em oferecer para o cultivar as melhores condições de desenvolvimento. Fora de intempéries e com estabilidade hídrica e térmica”, diz o consultor Adriano Édson Trevizan Delazeri, da Hidroponic, de Cachoeirinha/RS. Com o aparecimento das pragas voadoras em grande escala, especialmente a mosca branca, os produtores hidropônicos foram obrigados a se adaptar à essa nova condição. 

Até o momento, o único material capaz de minimizar o ataque da mosca branca e de outras pragas são as telas de proteção. No entanto, diversas telas são feitas de um material com uma trama muito fechada, o que impede a passagem de pragas, porém, evita também a passagem do vento, que é um benefício para amenizar a temperatura dentro do espaço protegido. Para solucionar este problema, existem diversas medidas que podem ser implantadas, porém, deve-se ressaltar que todos os recursos adotados para promover um ambiente bem ventilado promovem benefícios mas, em contrapartida, exigem investimentos. 

O diretor da Tropical Estufas, Nelson Nardy, diz que, nesses casos, a empresa busca alternativas como elevar a altura do pé direito das estufas. “Depende da região mas, hoje, o mais comum é em torno de 6 metros sob a calha”, explica. A empresa de Bragança Paulista/SP ainda adota como soluções o uso de janelas e lanternins, que ajudam na troca de ar quente por ar frio. Lanternins são aberturas dispostas na cobertura de estufas para propiciar ventilação e iluminação natural aos ambientes. “Também implantamos o uso de ventiladores [circuladores internos] que proporcionam ventilação, movimentando as plantas. Ou implantamos o uso de exaustores [fixados nos frontais das estufas] que ajudam na exaustão do ar quente”, detalha Nardy.  

Outros sistemas também podem ser adotados para controlar a temperatura dentro da estufa, como é o caso da utilização de aparelhos de ar-condicionado. Um sistema que contribui na solução mas acarreta um custo maior de energia elétrica, observa o diretor da Tropical Estufas. Já os sombreamentos, que diminuem a incidência de radiação, diminuem também a temperatura de 10% a 15%. Existem, ainda, os sistemas de evaporação e a ventilação. Sistemas de evaporação são menos eficientes, alcançando resultado na faixa de 2% a 10% apenas, elevando ainda a umidade do ambiente, o que, para algumas culturas, não é aconselhável e seu custo de instalação é ainda maior, lembra Delazeri. Já a ventilação pode influenciar de 25% a 41% a temperatura do ambiente e tem um custo zero no projeto, desde que seja previsto na montagem da estufa. “Uma estufa bem construída e com acompanhamento técnico qualificado promove resultados surpreendentes”, salienta o consultor.

A utilização correta dos sistemas de ventilação auxilia na diminuição (ou acréscimo, dependendo da região) da temperatura do ambiente e está diretamente relacionada com o aumento da produtividade, independente da cultura cultivada. A planta, quando encontra condições ambientais apropriadas, responde com um crescimento excelente e qualidade acima da média. “Com a temperatura do ambiente baixa e a temperatura da solução nutritiva também baixa, temos condições muito favoráveis de produção. A temperatura influencia muito na quantidade de oxigênio dissolvido na solução nutritiva, quanto mais oxigênio disponível para a planta, mais saudável fica a raiz. E raiz saudável é planta saudável. Outra vantagem é a melhora da condição de trabalho para os produtores”, completa o diretor da Hidroponic. 

Conclui-se que, na montagem do sistema de ventilação, o produtor e os técnicos envolvidos no projeto devem levar em conta invariavelmente a localização geográfica de cada empreendimento, as condições climáticas, ambientais e outras características pontuais do cenário em torno do cultivo. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[/ihc-hide-content]

Por Gustavo Paes

Revisão e publicação: Gabriel Costa

Compartilhe esta informação:

Posts Recentes

Carrinho

Nenhum produto no carrinho.

Finalizar compra